quinta-feira, setembro 06, 2007

Genética IV - Vermelhos e Tartarugas

Josephine: tartaruga azul tabby blotched com branco

Há casos raros de machos, a maior parte não-fertéis, mas 99 por cento das tartarugas são fêmeas. Isto porque o gene vermelho é transmitido no cromossoma relativo ao sexo e apenas no cromossoma X. Quando o macho gera um descendente do sexo masculino dá-lhe o cromossoma Y.

O gene vermelho tem dois alelos: O (vermelho) e o (não-vermelho). Uma fêmea tartaruga tem a combinação Oo, carregada em dois cromossomas X. Ao gerar um gatinho o macho deixa o campo relativo ao vermelho vazio: Yo (macho não vermelho) ou YO (macho vermelho). Quando surgem machos tartaruga estamos geralmente perante um problema genético.

As tartarugas têm então preto e vermelho, aos quais podem juntar branco. Podem ser, mais uma vez, sólidas ou tabbies. Se lhes tiver sido transmitido a diluição e o gene inibidor podem ser, respectivamente, azuis e cremes, e silver ou smoke.

Para que nasça uma fêmea vermelha é necessário que o pai e a mãe transmitam o vermelho (OO), ou seja, ter mãe tartaruga e pai vermelho ou serem os dois vermelhos.

Todos os vermelhos são tabbies, mesmo que tenham o gene non-agouti (sólido). Isto porque o vermelho, apesar da sua dominância, nunca cobre por completo o preto que todos os bosques têm. Mesmo que o seu código EMS diga que são sólidos é possível ver o padrão tabby na pelagem.

(by Luís)

Sem comentários:

Shadow Eyes Fan Box

Shadow Eyes on Facebook

Shadow Eyes Photo Gallery

Ocorreu um erro neste dispositivo
Ocorreu um erro neste dispositivo

Seguidores